Gratuidade marca chegada a SP de startup que compartilha baterias portáteis para smartphones

Hyupp já tem 40 máquinas em diversos estabelecimentos comerciais da cidade e pretende chegar a 400 ainda no primeiro semestre de 2021

  Já precisou usar seu smartphone, mas ficou sem bateria no meio da rua? Esse costuma ser um problema recorrente na vida dos brasileiros, que a Hyupp – startup de recarga rápida recém-lançada em São Paulo – se propõe a resolver.

Hyupp

Para marcar sua chegada à capital paulista, a empresa oferecerá o compartilhamento de baterias portáteis (Powers Banks) de forma completamente gratuita durante o mês de janeiro.

Atualmente existem 40 estações de recargas espalhadas em estabelecimentos comerciais na capital paulista, e a expectativa é chegar a 140 máquinas instaladas até fevereiro; 400 até julho e 800 em setembro.
O crescimento estimado é de 1.800% em 2021, segundo Ahmed Kadura, CEO e sócio fundador da Hyupp. “De outubro em diante, nossa meta é avançar para fora de São Paulo”, diz. Além de Kadura, a startup tem como sócio Iasser Kaddourah, que ficará responsável pelo marketing da empresa.

Quando precisam, os usuários podem localizar as baterias disponíveis através do aplicativo e desbloqueá-las. A cobrança, a partir de fevereiro, também será feita diretamente pelo app, via cartão de crédito, que serve como garantia de devolução. O carregador portátil já possui os cabos de conexão com aparelhos iOS e Android integrados.  “As máquinas sempre possuem bateria porque ficam disponíveis em pontos próprios de carregamento para serem usados e podem ser devolvidos em qualquer outra máquina”, afirma Kadura.

O Brasil é um país extremamente conectado por celulares: há hoje 230 milhões de celulares ativos no país. Já o número de computadores, notebooks e tablets em uso no Brasil é de 180 milhões. Houve um aumento de 10 milhões no número de smartphones ativos no último ano, segundo a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP).

Kadura destaca ainda que com os avanços na tecnologia e o leilão para ocupar a nova frequência de celular a ser aberta no país, o 5G, previsto para 2021, a forma como se consome internet no celular mudará, ainda mais, o que demandará maior autonomia das baterias. Outro sinal de mudança vem das próprias fabricantes, como a Apple, que lançou o iPhone 12 sem carregador. A Samsung não fica atrás e cogita lançar seu Galaxy S21 sem o carregador. Tudo para preservar o meio ambiente, dizem.

Imagem de eroyka por Pixabay 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *