Você sabe como as tartarugas se comunicam? Ouça o som

Um projeto da Associação da Conservação da Vida Silvestre – ou Wildlife Conservation Society (WSC) no Brasil –, com apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, busca contribuir com o desenvolvimento de estratégias de conservação para a tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa), uma das espécies mais ameaçadas do País e cuja população vem caindo significativamente nos últimos anos, principalmente devido ao tráfico e ao consumo ilegal. Uma das frentes da iniciativa estuda o papel da comunicação acústica no comportamento de desova em massa e nascimento dos filhotes. Os primeiros sons acabam de ser divulgados.

O comércio ilegal da espécie é estimulado pela alta demanda de sua carne e de seus ovos na região Norte. Nos meses de setembro e outubro, quando as tartarugas chegam aos rios tributários da bacia Amazônica para o período de desova, caçadores retiram os ovos da areia e capturam tartarugas para vender a mercados e restaurantes da região. Mais de 200 mil filhotes podem nascer em uma mesma noite, o que facilita a identificação e a captura das tartarugas.

O projeto de conservação das tartarugas-da-amazônia usa microfones e hidrofones para captar os sons emitidos pelos animais, a principal forma de comunicação entre eles. Além da comunicação acústica entre os indivíduos adultos, os filhotes, ao entrarem na água, também chamam pelas mães por meio do som.

Wildlife Conservation Society (WSC)

“Entender o padrão sonoro de como as tartarugas utilizam o som para sincronizar seus comportamentos da desova e nascimento em massa irá nos ajudar a prever quando isso está para ocorrer. Assim, conseguiremos intensificar as atividades de proteção e manejo nos períodos certos”, explica Camila Ferrara, ecóloga da WCS Brasil.

De acordo com o coordenador de Ciência e Conservação da Fundação Grupo Boticário, Robson Capretz, projetos como esse são importantes para proteger a biodiversidade brasileira. “A partir do que aprendemos sobre as espécies, passamos a ter mais argumentos para mobilizar outros atores a favor da proteção. Com esses dados, podemos instigar a criação de políticas públicas a favor da espécie e colaborar com mais assertividade em ações de fiscalização.”

Tartarugas-da-amazônia

As tartarugas-da-amazônia são a maior espécie de quelônio de águas doce da América do Sul, podendo medir um metro de comprimento e pesar até 75 quilos. São também uma das espécies de tartaruga com comportamento mais social do mundo, o que torna a comunicação sonora extremamente importante para a troca de informações nas atividades sociais do grupo dentro e fora da água.

Durante os meses de seca, as tartarugas-da-amazônia deixam a floresta alagada em busca das praias de desova. Cada tartaruga desova apenas uma vez no período reprodutivo e deposita cerca de 100 ovos. O período de incubação dura cerca de dois meses e o sexo dos filhotes é determinado pela temperatura de incubação. Após o nascimento, filhotes e adultos migram para a floresta alagada em busca de refúgio e alimentação.

Descrição dos arquivos de áudio:

Os sons “tipo 3f 2” e “tipo 3f 3” são sons de tartarugas adultas, enquanto o arquivo “tipo 6” representa o som de um filhote. A duração dos áudios é bem curta. Recomenda-se aumentar o volume da saída de som.

Crédito da foto: Camila Fagundes/WSC.

TARTARUGA
Foto: Camila Fagundes/WSC

Fundação Grupo Boticário

Com 30 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos. Já doou mais de R$ 80 milhões para mais de 1.600 iniciativas dedicadas à causa da conservação em todo o País. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas. A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *