Estresse e ansiedade afetam o sono durante a quarentena

Confira algumas dicas para amenizar as tensões causadas pelo isolamento

Tarefas domésticas redobradas, trabalhos, estudos, planejamentos adiados… O acúmulo de notícias, atividades e muitas horas dentro de casa, associado à incerteza de quando tudo voltará à normalidade, tem despertado sentimentos negativos, desregulando o tempo de sono e a alimentação de muitas pessoas. 

No início do combate à COVID-19, a quarentena foi decretada por duas semanas na maioria dos estados e cidades brasileiras. Com isso, uma parcela da população imaginou que usaria o período em casa para descansar, realizar planos e ideias que nunca saíam do papel por falta de tempo. A realidade, entretanto, não foi bem essa.

A maioria dos locais no país ainda encontra-se em reclusão social após quase três meses do primeiro decreto. O que no início pode ter sido considerado, em alguns casos, uma oportunidade, agora perturba o sono e o bem-estar e se torna um motivo de preocupação, estresse e ansiedade. 

Se, para você, o isolamento domiciliar também está sendo difícil, veja algumas dicas e observações que podem ajudar a enfrentar a pandemia de maneira mais leve e saudável. Confira!

  1. Alimentação

Pessoas ansiosas podem desencadear algum distúrbio alimentar, seja para comer mais do que o necessário, ou menos. Para tentar controlar isso, é importante manter horários fixos e uma alimentação equilibrada, com todos os nutrientes necessários. Cafeína e açúcar em excesso devem ser evitados, assim como refrigerantes que contenham cola, guaraná e energéticos. Durante a noite, opte por alimentos leves, pois comidas muito pesadas podem causar refluxo e prejudicar o sono.

  1. Cuidado com as telas

Especialistas têm observado que o tempo médio que as pessoas ficam em frente às telas durante a pandemia aumentou, seja nos celulares, computadores ou televisão. A luminosidade produzida por esses dispositivos, especialmente pelo celular, que tem o LED mais potente e fica mais próximo aos olhos, impede a produção correta de melatonina, o hormônio que está relacionado ao sono. Além disso, deve-se prestar atenção ao conteúdo ao qual fica exposto antes de dormir, pois pode causar estresse e ansiedade, o que prejudica o descanso. 

  1. Siga uma rotina

Manter uma rotina e horários fixos para acordar, dormir, se alimentar, trabalhar, fazer atividades físicas e se divertir ajuda a regular o sono e diminui o sentimento de improdutividade, que pode surgir durante a quarentena. Trabalhar horas a mais do que o normal durante o home office pode facilmente acontecer. Por isso, atente-se ao tempo estabelecido. Siga corretamente os horários que determinou para dormir e acordar; assim, seu relógio biológico irá se acostumar.

  1. Faça exercícios físicos

Fazer exercícios físicos ajuda o seu corpo a desligar mais facilmente na hora de dormir, dá disposição para enfrentar as tarefas do dia a dia, aumenta a imunidade e ajuda a lidar com a ansiedade e a tensão. É necessário se atentar apenas para o horário e o tipo de exercício que será realizado, afinal, caso seja muito intenso, é contraindicado que seja feito durante a noite, pois aumenta o metabolismo e a temperatura corporal, prejudicando os núcleos de controle do sono.

  1. Invista no conforto do seu sono

Se tem algo que vale o seu investimento é o seu ambiente de dormir. Comprar colchões, travesseiros e colchas de cama de boa qualidade pode evitar problemas na coluna e de sono. Hoje em dia, é possível encontrar bons colchões e cama box por preços acessíveis. Dormir bem também ajuda a diminuir anseios, estresses e preocupações, causados pelo distanciamento social. 

Foto:Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *