Como será o cinema do futuro?

Em 2019, tema foi discutido durante o SXSW.

A tecnologia está sempre em constante revolução. Isso é algo que a maioria das pessoas já sabe. Temos melhores telas de TV, de smartphones então, por que não poderíamos vivenciar uma experiência diferenciada no cinema?

No ano passado, durante o SXSW (South by Southwest), importante evento ligado ao Cinema, Música e Tecnologia, o futuro da sétima arte foi discutido. Ali, foram apresentadas possíveis mudanças que, em alguns anos, serão encontradas pelos fãs dos filmes.

Assim, o que você acha de conhecer um pouco do que se espera para o cinema do futuro?

Interatividade

O cinema do futuro promete ser interativo. Você se lembra de um episódio de Black Mirror, lançado no final de 2018, que foi um grande sucesso? Nele, você podia tomar decisões pela personagem e, assim, chegar a um final diferente.

Essa ideia também pode ser levada aos cinemas. Apesar de a experiência de assistir a um filme desse modo ser inovadora, precisaria de outros elementos para dar certo.

Para os diretores dos filmes, seria um novo desafio. Agora, o roteiro precisará ter caminhos diferentes, assim como aconteceu em Bandersnatch, o episódio interativo de Black Mirror.

Para o público, haverá a possibilidade de definir o caminho que considera o mais certo para a história que está acompanhando.

Realidade Virtual

Os óculos de realidade virtual já são usados em jogos e em alguns vídeos curtos. As filmagens, feitas como uma câmera 360º, permitem que o telespectador se sinta em meio ao que assiste.

É um tipo de interação ainda melhor que o cinema 3D. Assim que você coloca os óculos VR, imediatamente, passa a estar dentro do filme. No entanto, não é possível tomar decisões pelos personagens.

Para algumas pessoas, seria uma experiência única e rica em detalhes. Agora, se você tem labirintite, pode não gostar muito da sensação.

Efeitos especiais ainda melhores

Os efeitos especiais dos filmes já evoluíram muito. Quase não dá para perceber que se trata de algo produzido no computador, depois que as gravações já foram feitas. Os fãs de Cinema mais atentos gostavam de procurar possíveis falhas e apontar detalhes.

No entanto, no futuro isso vai se tornar algo cada vez mais raro. Os efeitos estarão muito próximos da perfeição, mesmo quando se trata de um personagem desenvolvido, totalmente, pelos softwares de computador.

Espaços imersivos

Sentir, interagir e participar: isso é o que o cinema vai proporcionar por meio dos espaços imersivos. Se o protagonista passar um perfume, você poderá sentir a fragrância.

As pessoas deixam de ser meros expectadores e são convidadas a participar do filme. A experiência pode, inclusive, envolver a ideia da interatividade. A maioria dos projetos de espaços imersivos unem as duas situações.

Em vez de apenas contar histórias, o cinema do futuro vai te fazer vivê-las. Pode ser interessante e vai ajudar muito na avaliação positiva ou negativa de um longa-metragem.

Experiência individual significa o fim do cinema tradicional?

As quatro situações esperadas para o futuro na forma como os filmes serão assistidos evidenciam uma experiência individual e única. Mas isso significaria o fim do cinema? Muito pelo contrário.

Essa discussão chegou a fazer parte do SXSW de 2019. O cinema ainda é um espaço de socialização. São raros aqueles que vão sozinhos assistir a um filme, além de que, mesmo com a tecnologia atual, já é possível ter uma troca de experiências.

Assim, se a sétima arte continuar mantendo sua ideia de socialização, mesmo com todas essas formas diferentes de vivenciar a experiência de assistir a um longa-metragem, ainda será possível compartilhar opiniões.

Se trata, acima de tudo, de um local que reúne interessados em um mesmo conteúdo, permitindo que compartilhem suas experiências após a exibição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *